CURSO NO MONTE CARMELO

 

Image

Por iniciativa do Definitório Geral dos Carmelitas Descalços realizou-se, no Monte Carmelo, o primeiro curso de formação permanente para os frades carmelitas descalços, em língua espanhola. Teve início no dia um de Dezembro do passado ano de 2011, e fomos motivados por um primeiro objectivo que era a renovação espiritual dos participantes, com base numa experiência em termos e realidades como são PALABRA – TERRA – CARMELO - POVO.

Os temas que abordados levaram-nos a fazer um percurso espiritual através da História da Salvação, com a ajuda de personalidades importantes da Bíblia: ABRAÃO - MOISÉS - JOSUÉ - DAVID - SALOMÃO - ELIAS - JOÃO BAPTISTA - JESUS - PAULO - MARIA. O tratamento destes temas e personagens foi por meio de conferências, vida de comunidade, peregrinações, Lectio Divina, assimilação pessoal, partilha e com a particularidade de estar alojados na hospedaria do mosteiro de Stella Maris do Monte Carmelo (Israel).
Para este ano de 2012, além dos frades ocd, estão convocadas as Irmãs das Congregações associadas da Família Carmelitana (Junho-2012), Carmelo Secular ocds (4-18 Março) e jovens (15-29 Julho).

Assim decorreram, já, os 3 meses, desde o seu início; onze frades provenientes das províncias de Espanha, (Ángel Fernandez, Ángel Palomino, José Miguel Ostiz e Pedro Sáiz) México, (Cândido) América Central, (Luís David) Portugal (Alpoim) e Brasil (Deneval, Marcos e Lucas), assistidos nos cursos pelos professores ocd: José Colón com os cursos introdutórios da história da nossa presença no Monte Carmelo, a Regra Carmelitana, os personagens de Elias, João Baptista e Maria; Secundino Castro apresentando Abraão, Moisés e Josué; Agustí Borrel com David e Salomão e Francisco Brändle com Jesus e Paulo, com peregrinações a lugares do Antigo e do Novo Testamentos em Israel-Palestina-Jordânia-Egipto.
Ao terminar este encontro, o grupo participante, depois de uma avaliação espontânea e muito positiva, quer deixar um testemunho de grande gratidão aos Superiores gerais e à Delegação da Terra Santa que nos acolheu e nos deu a possibilidade de nos sentirmos em “nossa casa”. Gratidão também para as nossas províncias e comunidades que permitiram que vivêssemos este tempo de graça, de descanso, de paz e de festa naquele que foi o berço da nossa Ordem.

 

2012-03-07

 
[Voltar às notícias]